Inicio » Como é feito o vinho tinto? (Ingredientes + Receita)

Como é feito o vinho tinto? (Ingredientes + Receita)

O senhor gostaria de saber como se faz o vinho tinto? O vinho tinto é bem conhecido, seu sabor, seu aroma e sua cor fazem dele uma bebida emblemática para milhares de pessoas que são seduzidas por suas qualidades gerais.

O vinho tinto tem uma grande variedade de seguidores que o preferem a outras bebidas alcoólicas graças ao seu estilo, mas será que sabemos realmente como se faz o vinho tinto?

E o fato é que estamos falando de um caldo muito particular, de modo que seu método de elaboração contém vários fatores interessantes que resultam em um excelente companheiro.

Fazer vinho tinto é um processo milenar que com o tempo se tornou mais sofisticado, levando à implementação de métodos altamente complexos.

No entanto, sua raiz principal é a mesma, o uso de uvas, de modo que a compreensão de como o vinho tinto é feito nos permite abrir nossa riqueza intelectual.

Como é feito o vinho tinto?

Fazer vinho tinto não é uma coisa qualquer, e seu método de elaboração inclui vários fatores que devem ser levados em conta para se obter um caldo de qualidade e de sabor requintado.

Além disso, cada casta utilizada tem sua própria forma e cuidado, e a base principal do nosso vinho é o suco de interesse.

Para entender como fazer vinho tinto, é importante saber que passos devem ser seguidos para se obter um vinho ótimo, e é por isso que agora vamos indicar quais passos são usados.

Fazer vinho tinto inclui um elemento principal, a uva, que é o protagonista de dar como resultado um vinho de qualidade.

Há uma grande variedade de castas que, graças às suas qualidades, dão lugar a vinhos únicos no mundo.

Se o enólogo deseja fazer um vinho tinto jovem e muito frutado, usa geralmente o método de maceração carbônica, que é nada mais, nada menos do que o método do cacho inteiro, enquanto que se deseja fazer um vinho de melhor qualidade, que geralmente é o método mais comum, usa o processo de desengace e esmagamento.

Quais são os passos para fazer vinho tinto?

Cada vinícola tem seus próprios métodos de vinificação, mas geralmente andam de mãos dadas com um método que permite ao senhor obter todos os benefícios da videira.

1.- Destemming

O desengace é um processo pelo qual as uvas ou as videiras são separadas do cacho, esse processo também é conhecido por muitos conhecedores como “raspón”.

Na antiguidade, porém, esse processo era feito à mão, hoje em dia o processo tem progredido e máquinas especiais conhecidas como desenmmers são usadas.

Os ramos e as folhas da videira tendem a gerar aromas e sabores amargos ao mosto durante sua posterior maceração, pelo que é necessário retirá-los e para isso as uvas que foram selecionadas na colheita são separadas do resto do cacho.

2.- Trituração

Uma vez que todas as uvas tenham sido retiradas do cacho, elas são levadas a uma máquina chamada trituradora, também conhecida como pisadeira.

Aqui a casca da uva, conhecida como casca, é quebrada e o máximo possível de mosto é extraído da videira.

O esmagamento deve ser muito minucioso, e é preciso evitar a todo custo que as sementes das uvas sejam quebradas, porque se isso acontecer pode dar amargor ao mosto.

Uma vez esmagadas as uvas, obtém-se uma pasta líquida, à qual se acrescenta dióxido de enxofre, e depois é transferida para um tanque, onde se inicia o processo de fermentação.

3.- Maceração e fermentação alcoólica

Uma vez esmagadas as uvas e obtida a pasta líquida desejada, elas são mantidas a uma temperatura controlada por alguns dias. Esse processo é conhecido como maceração, um ponto de vital importância em nossa produção de vinho tinto.

A maceração permite a fermentação, permitindo que o mosto adquira sua cor e características graças ao contato direto com os pigmentos das peles.

São precisamente as peles das uvas que fornecem os elementos essenciais que distinguem o vinho, como o tanino, entre outros fatores.

A maceração é feita em tanques e é através das leveduras naturalmente presentes nas peles das uvas que se inicia o processo de fermentação, também conhecido como fermentação alcoólica, pois o açúcar das uvas é transformado em álcool etílico.

É a fermentação que permite que o dióxido de carbono suba à superfície, produzindo um borbulhamento que transporta as partes sólidas da mistura.

Esse efeito cria uma camada sólida na superfície composta de peles, polpa e grainhas que flutuam sobre o mosto, um processo também conhecido como nivelamento.

Durante o processo e para assegurar que as partes sólidas permaneçam em contato com o mosto, é feito o bombeamento, que é simplesmente a extração do mosto da parte inferior do tanque para reintroduzi-lo de cima, regando a tampa.

Depois vem o bazuqueo, uma fase em que a tampa é quebrada manualmente com a ajuda de um bastão para que se misture com o mosto, e em que as peles acabam transferindo certas propriedades para o vinho que o tornam característico.

Todo o processo pode levar entre 10 e 14 dias, e sua temperatura não deve ser superior a 29°C. Após esse tempo, o líquido é transferido para outro tanque para iniciar outra fase.

4.- Imprensa

Uma vez feita a devastação, o resultado sólido é prensado para extrair todo o vinho. Os restos, conhecidos como orujos, são enviados às destilarias para posterior destilação.

De acordo com o tipo de prensagem, são obtidas diferentes qualidades de vinho, que são definidas pelo perito.

5.- Fermentação Maloláctica

Uma vez que o vinho tenha passado pelas etapas anteriores e a fim de melhor compreender como é feito o vinho tinto, o vinho obtido é novamente submetido a um novo processo de fermentação que leva entre 15 e 21 dias.

Permitindo que o ácido málico junto com o ácido cítrico e o ácido tartárico sejam convertidos em ácido láctico, resultando em um vinho muito mais agradável para o consumo final.

6.- Racking

No final de sua segunda fermentação, o vinho é transferido de um tanque para outro num processo conhecido como estante, o que permite que o vinho seja limpo acumulando no fundo a matéria sólida remanescente após o processo inicial.

O processo de trasfega é repetido periodicamente, o que evita possíveis contaminações causadas por restos sólidos presentes no vinho no momento de sua produção e permite que o vinho seja arejado.

Um passo importante que nos permitirá obter um vinho muito mais ótimo e de melhor qualidade.

7.- Esclarecimento

Para continuar compreendendo como se faz o vinho tinto, é importante conhecer o processo de esclarecimento, no qual substâncias orgânicas são normalmente usadas para arrastar as impurezas do vinho até o fundo.

Isso é feito em barris e, se necessário e considerado necessário, pode até levar à filtragem.

8.- Envelhecimento ou Crianza

Depois de passar pelas fases anteriores e obter um vinho completamente limpo, o processo de envelhecimento se dá em barris de carvalho.

Esses barris são especiais, ou seja, a madeira usada para fazê-los é geralmente carvalho francês ou americano e passam por um processo térmico que lhes dá forma.

Quando entrarem em contato com o fogo, o interior dos barris apresentará diferentes graus de tostagem que modificarão o caráter do nosso vinho.

É importante saber que os barris em que o vinho é envelhecido são escolhidos de acordo com sua dureza, permeabilidade e porosidade, o que permite ao vinho obter notas aromáticas que dão ao nosso vinho sua própria identidade.

Tais como: Amadeirado, tostado, defumado, cítrico e outros. Em geral, os vinhos que passam por esse processo são o Reserva, o Gran Reserva e o Crianza, enquanto os vinhos jovens são lançados imediatamente no mercado.

9.- Engarrafamento

Uma vez concluído o processo anterior, o vinho é engarrafado, o que permite que o vinho evolua eficientemente. Quando a rolha é colocada na garrafa, ela assimila o oxigênio, atingindo o ponto perfeito necessário para o produto final.

O envelhecimento em garrafa permite que o vinho se estabilize e que suas propriedades organolépticas atinjam o equilíbrio perfeito resultante de seu tempo em barris de carvalho.

Como se faz o vinho tinto? é uma pergunta que muitas pessoas curiosas e famintas de informação fazem a si mesmas, porque o mundo do vinho está cheio de segredos.

Esses segredos se devem à experiência e aos toques pessoais de cada vinícola, que também permitem que cada vinho seja diferente e único.

O vinho tinto é uma das bebidas preferidas do mundo, milhares de pessoas o preferem graças à sua qualidade e sabor, o que também lhe permite acompanhar diferentes alimentos.

Conseguindo um ponto de explosão de sabores que fazem com que nossas papilas gustativas desfrutem muito mais.

Saber como se faz o vinho tinto nos permite entrar num mundo desconhecido para muitos seguidores dessa fascinante e elegante bebida alcoólica que percorre o mundo e que hoje permanece entre as grandes preferências.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *