Pular para o conteúdo
Inicio » O que é vinho nublado? Aprenda a identificá-los!

O que é vinho nublado? Aprenda a identificá-los!

O senhor sabe o que é um vinho nublado? Os vinhos nublados sempre existiram, aqueles que não mostram a clareza que estamos acostumados a ver, mas isso não significa que estejam danificados e que devam ser desperdiçados.

Saber o que é um vinho nublado nos permite saber mais sobre esse vasto mundo em que a vinha é o grande protagonista, gerando vinhos deliciosos que conseguem roubar os suspiros de mais de um apaixonado.

Hoje há mais vinícolas que não filtram seus vinhos para não retirar certas propriedades naturais, o que nos permite encontrar vinhos nublados.

No entanto, é importante aprender a identificar um vinho que está nublado por natureza a partir de um que se deve a defeitos na sua elaboração.

O que é vinho nublado?

Se procurarmos a definição exata do que é um vinho nublado, veremos que se trata de um vinho sem transparência, como consequência de matéria coloidal em suspensão.

Mas o que isso significa exatamente? Bem, significa que durante o processo ocorreram algumas alterações.

Em outras palavras, poderia ser que a fermentação não tenha sido concluída corretamente, que haja vestígios de sedimentos, ou que tenha havido uma infecção durante o processo de elaboração, entre outras causas.

Na Galiza, Espanha, o vinho branco nublado é um vinho típico que vem da elaboração de vinhos caseiros na região de ribero, na Galiza, destacando-se por sua alta acidez, frescor e sabor suave, embora com um ponto doce, o que o torna completamente encantador.

Que fatores tornam um vinho nublado?

Para compreender o que é um vinho nublado, é melhor conhecer os fatores que podem levar o vinho a não apresentar a clareza que estamos sempre procurando ou a que estamos acostumados.

Para muitas pessoas, turbidez é sinônimo de descartável e não é por estar nublado que estamos lidando com um vinho em más condições.

As causas mais comuns de vinho nublado são fermentação incompleta, excesso de proteína, sedimento persistente da fermentação inicial ou infecção bacteriana durante o processo.

Vejamos alguns desses fatores mais de perto:

Fermentação incompleta

Pode acontecer que tenhamos um vinho nublado em casa e a conseqüência é que ele ainda está fermentando.

O vinho normalmente termina a fermentação quando atinge uma gravidade de 990 ou menos, mas mudanças de temperatura ou movimento podem reativar a levedura restante presente no processo.

Mas se um açúcar condicionador sem estabilizador for adicionado no processo, a fermentação também pode ser reiniciada.

Além disso, quando um vinho fermenta, a levedura morta cai diretamente no fundo criando um sedimento que tende a agitar quando o vinho é derramado, criando uma espécie de névoa.

Presença de sedimentos

Se o vinho não for filtrado antes do engarrafamento, esse sedimento pode acabar na garrafa, causando turbidez.

O ideal é evitar a turvação, engarrafando o vinho somente depois que ele tiver tido tempo suficiente para descansar após a fermentação, e nunca engarrafar vinho de um fermentador com sedimentos dentro.

Presença de névoa de pectina

A pectina é um composto natural de frutas e é freqüentemente usada para fazer geléia por causa de sua consistência.

Geralmente é degradado durante a fase de fermentação, porém, algumas frutas contêm um nível mais alto de pectina do que outras, portanto, se a enzima péctica não for usada, o vinho pode permanecer nublado.

Precipitação do vinho

A precipitação é causada por substâncias do vinho formadas por fermentação excessiva, no caso dos vinhos tintos essa precipitação geralmente toma a forma de taninos, assemelhando-se a poeira.

Já nos vinhos brancos, a precipitação é geralmente causada pelo ácido tartárico, que vai formar cristais.

Esses cristais podem ser vistos no fundo da garrafa e geram um caldo nublado, razão pela qual é necessário estabilizar o vinho, a fim de evitar a ocorrência de precipitação.

Como se consegue a estabilização? Controlando sua temperatura, o que torna necessário manter o vinho a 10°C para os brancos e 21°C para os tintos.

Infecção no vinho

Quando um vinho fica infectado, começa a emitir um mau cheiro, que pode ser azedo como a acetona e acontece quando o caldo se transforma em vinagre.

O mau uso do equipamento, a falta de saneamento, a exposição ao ar ou a incorporação por acidente de uma levedura estrangeira desencadeia esses fatores que alteram o vinho e geram, além do mau cheiro, um gosto azedo e uma nuvem densa que faz o caldo parecer nublado.

Esses são alguns dos fatores que podem tornar o vinho nebuloso e até mesmo levá-lo a se estragar ou se tornar ruim.

Entretanto, como já mencionamos anteriormente, o fato de termos um vinho nublado não significa que ele seja ruim, basta que prestemos atenção a tudo o que ele implica.

Como servir um vinho nublado?

É possível que quando vamos ao mercado para comprar uma garrafa de vinho nos deparemos com uma que está nublada, e como não somos especialistas no assunto, a compramos e então percebemos esse aspecto e sentimos que estamos em apuros.

Não descarte o vinho, dê-lhe uma oportunidade e desfrute-o, pois algumas vinícolas começaram a evitar filtrar alguns vinhos, a fim de preservar mais de suas qualidades. A melhor maneira de servir um vinho nublado é a seguinte:

  1. Deixe a garrafa em pé, sem movê-la.
  2. Ao colocar a garrafa em posição vertical, as substâncias em suspensão que geram a turbidez do vinho se precipitarão gradualmente até o fundo da garrafa.
  3. Uma vez que observamos que as substâncias se precipitaram e estão no fundo, é hora de mover cuidadosamente a garrafa.
  4. Desenrole a garrafa com muito cuidado, movendo a mão segurando o saca-rolhas e não a garrafa, que deve permanecer completamente imóvel.
  5. Se movermos a garrafa com as substâncias no fundo, devemos fazê-lo com movimentos lentos, o que evitará que os sedimentos se voltem a misturar com o vinho.
  6. Ao derramar, a garrafa deve ser inclinada o quanto for necessário e não virada, o que permitirá que o caldo caia lenta e lentamente, deixando o sedimento que torna o vinho nublado.
  7. Use os ombros da garrafa para segurar ali o sedimento e evitar que ele caia no copo.
  8. Deixe o último quarto do vinho na garrafa, pois é aqui que estarão presentes os sedimentos que causam a turvação do vinho e, se forem despejados no copo, virão automaticamente com o caldo.

 

Mas nem todos os vinhos nublados têm que passar por esse processo. No caso dos vinhos brancos nublados galegos, que são naturalmente assim, é aconselhável bebê-los bem frios, entre 4°C e 6°C, para desfrutar de todo o seu esplendor.

Também se emparelha bem com todos os tipos de frutos do mar e de peixes, bem como com os aperitivos. O vinho branco nublado da Galiza é um vinho diferente, que é feito a baixa temperatura, evitando a precipitação das leveduras e preservando o carbono próprio da fermentação alcoólica.

O resultado é um vinho nublado com um ligeiro brilho que permite que seja engarrafado para consumo no momento certo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.