Pular para o conteúdo
Inicio » Vino Patero: Um calor com sello argentino

Vino Patero: Um calor com sello argentino

Como é feito o vinho Patero? A Argentina é uma nação com grande amor pela elaboração do vinho, em suas terras são cultivadas videiras que dão lugar a variedades de vinhos cheias de sabor, aroma e muita qualidade.

Dentro de sua ampla gama existe o vinho Patero, mas será que realmente sabemos como é feito o vinho Patero argentino? Para muitos é totalmente desconhecido que no século XXI essa antiga prática que deu lugar ao bom vinho ainda existe.

Áreas no norte da Argentina, como La Rioja, Catamarca e os Vales Calchaquíes, são caracterizadas pela produção de vinho patero, e está tão intimamente ligada à população local que muitas famílias fazem seu próprio vinho.

Saber como se faz o vinho patero abrirá nossos sentidos e nossos conhecimentos a um método que, para muitos, se pensava estar extinto.

No entanto, ela ainda hoje é praticada e continua a produzir vinhos deliciosos, nos quais o contato direto gera maior satisfação.

Como é feito o vinho Patero?

Compreender como se faz o vinho Patero nos permite compreender suas origens, e o fato é que nos tempos antigos não havia máquinas para fazer vinho e os pés eram usados para prensar as uvas e gerar o mosto necessário.

O vinho é esmagado com os pés descalços ou com botas de borracha, pisado com os pés, que é de onde deriva o nome. Depois desse processo o vinho é naturalmente filtrado pelo método de decantação.

Geralmente os vinhos pateros tendem a ser de cor rosa, produto da variedade utilizada, o muito conhecido criolla, há também vinhos brancos feitos com a variedade Torrontés e vinhos tintos que são feitos com variedades finas como Malbec e Cabernet.

Graças a seu método de elaboração, o “vino patero” é considerado por muitos especialistas em vinhos como um vinho 100% natural, pois não contém nenhum tipo de aditivos que contaminem seu processo.

No entanto, embora o vinho seja feito originalmente com os pés, há muitas vinícolas familiares que têm usado condições de higiene e tecnologias que permitem que o vinho seja feito sem contato direto com os pés.

Para muitos pode parecer um pouco feio que haja um vinho feito com pés, mas para outros é um assunto fascinante que os leva a aprofundar um estilo antigo que deu origem a tudo isso.

Os vinhos Pateros também se caracterizam por sua doçura e alto teor alcoólico. É um vinho jovem e pouco temperado e, graças ao seu tipo de produção, pode ser feito em grandes quantidades.

Quais são os passos para fazer o vinho Patero?

O vinho Patero é uma tradição e faz parte da identidade de um país rico em gastronomia e que tem se caracterizado ao longo dos anos pela produção de grandes vinhos, que gozam de reconhecimento mundial graças à sua excepcional qualidade.

Como fazer vinho Patero é falar de métodos naturais e artesanais na sua totalidade, por isso não é de se surpreender que a questão dos aditivos que geram algum tipo de aceleração esteja completamente descartada.

1.- Colheita

Como em todos os processos de vinificação, tudo começa com a vindima, pois esta é responsável pela geração de um vinho de qualidade.

No caso dos vinhos Pateros, a colheita é tardia e só são utilizadas as uvas bem maduras, razão pela qual tem um sabor tão doce que a torna tão característica.

Além disso, nenhuma levedura ou aditivo químico é permitido. Naturalmente, as uvas são colhidas à mão e levadas para o local onde são prensadas.

2.- Imprensa e desenrolar

É importante selecionar e destemir os caules à mão na produção do vinho Patero, pois o mosto tem que fermentar exclusivamente com as peles, o que permite a extração da cor e do corpo.

Para isso, as videiras selecionadas são colocadas em um tanque, geralmente de madeira, onde as uvas são pisadas com os pés, o que permite obter uma maior quantidade de mosto.

Atualmente, a maioria das vinícolas tem substituído o uso de pés descalços por prensas ou beatas metálicas que permitem melhores parâmetros de higiene exigidos pelas instituições de saúde.

3.- Fermentação

Como já mencionamos acima, o vinho patero é fermentado diretamente com as peles das uvas selecionadas, o que nos permite obter um vinho mais encorpado e saboroso, que o distingue de outros vinhos.

Não são permitidos aditivos químicos no processo, portanto é um método completamente natural.

Há aqueles que o deixaram ficar em barris por algum tempo e aqueles que preferem engarrafá-lo todo de uma só vez, em todo caso é engarrafado em garrafas feitas à mão que foram previamente higienizadas para esse fim.

O vinho Patero tem conseguido conquistar paladares exigentes e, embora muitos o considerem um tanto odioso quando o provam, são seduzidos pelo seu sabor.

Atualmente, o vinho Patero não é apenas parte da região norte da Argentina, ele já se tornou um produto de consumo nacional. De certa forma, para muitos é sinônimo de distinção, já que se poderia dizer que se trata de um produto completamente argentino.

Ainda desconhecido de muitos, mas muito valorizado por outros, o vino patero é feito com a paixão de dar o melhor das uvas e de alcançar o paladar de milhares de pessoas.

Com o passar do tempo e dos anos, seus produtores conseguiram que seu produto artesanal e natural, livre de aditivos químicos, chegasse a todos os cantos da Argentina e se posicionasse sobre as mesas de todos os amantes do bom vinho.

A paixão, a tradição e o desejo de manter seu próprio estilo conseguiram levar o vinho Patero para além de um simples licor artesanal.

Poder fazer parte de sua elaboração é uma verdadeira aventura para aqueles que vão para o norte da Argentina e podem fazer parte de seu processo de elaboração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.